Segunda, 15 de Julho de 2024
19°C 34°C
Teresina, PI
Publicidade

INSS realiza a primeira teleperícia entre os povos originários

O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) realizou a primeira perícia por videochamada na Aldeia Fontoura, em Lagoa da Confusão, Tocantins, durante o projeto Defensorias do Araguaia, que ocorreu de 17 a 21 de junho.

04/07/2024 às 13h22
Por: Lucyanna Nunes
Compartilhe:
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução


O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) realizou a primeira perícia por videochamada na Aldeia Fontoura, em Lagoa da Confusão, Tocantins, durante o projeto Defensorias do Araguaia, que ocorreu de 17 a 21 de junho.

 
A ação, organizada pelas Defensorias Públicas dos estados de Goiás, Mato Grosso e Tocantins, em parceria com outros órgãos públicos, como o INSS, visou fornecer atendimento jurídico gratuito e serviços públicos essenciais às comunidades indígenas da região do Araguaia, na divisa entre os três estados.  

 
A região é habitada pelos Karajás, que enfrentam barreiras socioeconômicas, geográficas e linguísticas, dificultando o acesso aos serviços essenciais do Estado. Para alcançar as comunidades das aldeias Fontoura (TO), São Domingos (MT), Buridina (GO) e Bdè-Buré (GO), as caravanas de voluntários percorreram quase dois mil quilômetros, enfrentando longas distâncias, estradas de terra e rios.

 

Imagine o desafio para alguém dessas comunidades ter que se deslocar até as cidades para obter atendimento público. Pensando nisso, o INSS levou a Perícia Conectada à ação, permitindo que perícias médicas fossem realizadas remotamente, via videochamada, por um perito da Perícia Médica Federal (PMF).  

 
O servidor voluntário Silvano Coelho Lira, gerente-executivo do INSS em Palmas, enfatiza a celeridade do projeto no atendimento às aldeias. “Se fossem atendidos em uma Agência da Previdência Social, muitos teriam que percorrer mais de 800 quilômetros para chegar à agência mais próxima de seu território. Com essas ações, agilizamos o atendimento, especialmente para dar entrada em benefícios, além de fornecer informações sobre seus direitos”, afirma Silvano. 

 
José Raimundo Karajá, coordenador da Escola Estadual Indígena Kumanãna, ressalta a importância da presença do INSS na aldeia. “Essa ação é muito importante, porque em vez da comunidade inteira ir para a cidade resolver a situação, agora está sendo resolvido por aqui mesmo. Estamos muito felizes”, fala José Raimundo. 

 
As equipes do Programa de Educação Previdenciária (PEP) das gerências-executivas Cuiabá e Palmas ofereceram serviços previdenciários como solicitação de benefícios, consultas de extratos, agendamentos e orientação sobre benefícios e serviços do instituto, como também cuidaram da logística, instalando e configurando computadores em salas reservadas para as teleperícias. Ao todo, foram realizados 169 atendimentos, dos quais 14 foram perícias remotas. 

 
O PEP do INSS, presente em ações de cidadania por todo o Brasil, foi representado pelos servidores Benedito Jorge, José Augusto Pugas, Petrus Vinícius, Silvano Coelho e Thompsom Campos.

 
“Fazer parte deste projeto com o foco nos povos indígenas foi muito gratificante. Em especial, nossa parceria com à PMF na realização das teleperícias que fizeram a diferença na vida das famílias atendidas. Temos certeza de que a experiência contribuirá positivamente na evolução desta modalidade de perícia médica”, afirma Thompsom, chefe da Seção de Administração de Informações de Segurado da gerência de Cuiabá. 

Nathalia Lima, Secom/MT e Mário Henrique Fernandes, Secom/TO

 
Fonte: INSS

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Publicidade
Publicidade
Economia
Dólar
R$ 5,44 +0,29%
Euro
R$ 5,93 +0,05%
Peso Argentino
R$ 0,01 +0,07%
Bitcoin
R$ 367,610,20 +10,58%
Ibovespa
129,320,96 pts 0.33%
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Lenium - Criar site de notícias