Segunda, 15 de Julho de 2024
20°C 36°C
Teresina, PI
Publicidade

Espanha autoriza menores de 18 a abortarem sem autorização dos pais

Tribunal Constitucional da Espanha negou recurso impetrado por partido de extrema-direita e manteve decisão em prol da liberdade das mulheres.

19/06/2024 às 12h24
Por: Lucyanna Nunes
Compartilhe:
Justiça da Espanha autoriza menores de idade a abortarem sem autorização dos responsáveis.(Imagem: Freepik)
Justiça da Espanha autoriza menores de idade a abortarem sem autorização dos responsáveis.(Imagem: Freepik)

Por 7 votos a 4, o Tribunal Constitucional da Espanha rejeitou um recurso do partido Vox, de extrema-direita, e manteve a decisão que permite que jovens de 16 e 17 anos realizem aborto sem a necessidade de autorização dos responsáveis. A decisão ocorreu nesta terça-feira, 18.

Para maiores de 18 anos, não é necessário consentimento, enquanto menores de 16 podem recorrer à Justiça para interromper uma gravidez sem a autorização dos responsáveis.

Entenda o caso

Em 2023, o Parlamento espanhol realizou atualizações na lei do aborto, permitindo que adolescentes de 16 e 17 anos façam abortos sem o consentimento dos pais ou responsáveis. O partido Vox contestou essa permissão, alegando que a medida violava vários princípios constitucionais, incluindo os de liberdade, pluralidade e legalidade.

Ao julgar o recurso, os juízes negaram o pedido da Vox, afirmando que a determinação está alinhada à doutrina da Justiça espanhola, que reconhece o direito da mulher de decidir sobre a continuidade da gravidez.

 


Aborto na Espanha

Na Espanha, o aborto foi legalizado em julho de 1985, quando a primeira lei determinou a interrupção da gravidez nos casos de estupro, até 12 semanas; para evitar riscos à saúde da gestante, sem limite de semanas; ou se o feto apresentasse graves doenças físicas ou mentais, até as 22 semanas.

Em julho de 2010, com a nova lei de saúde sexual e reprodutiva, o aborto passou a ser permitido em qualquer circunstância até as 14 semanas, desde que a mulher fosse informada sobre seus direitos e os suportes oferecidos pelo Estado, caso optasse por manter a gravidez.

No entanto, em 2015, a exigência de permissão dos pais foi introduzida por lei, uma exigência que foi revogada oito anos depois, em fevereiro de 2023. No ano passado, a última reforma da lei do aborto foi realizada no país, na qual legalizou aborto para meninas de 16 e 17 anos sem autorização dos pais e simplifica burocracia para pessoas trans.

O partido Vox impetrou recurso, mas a tentativa foi negada agora pelo Parlamento.

Fonte: Migalhas

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Publicidade
Publicidade
Economia
Dólar
R$ 5,44 +0,26%
Euro
R$ 5,93 +0,00%
Peso Argentino
R$ 0,01 +0,04%
Bitcoin
R$ 367,358,55 +10,53%
Ibovespa
129,432,31 pts 0.42%
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Lenium - Criar site de notícias